Saiba quais são as Áreas geográficas IATA e Indicadores Globais e como elas podem te ajudar

Neste artigo vamos falar sobre Áreas geográficas da IATA e Indicadores Globais.

Já sabemos que o conhecimento em geografia é muito importante para qualquer profissional na área do Turismo.

Na indústria aérea não seria diferente.

Além disso, existem vários fatores que podem interferir no valor de uma tarifa, e um deles é o fator geográfico.

Montar uma rota geograficamente coerente vai deixar a tarifa aérea muito mais barata.

Por este motivo, a geografia é um dos pontos chave no planejamento e no preço de uma viagem.

Com o intuito de ajudar a indústria, a IATA dividiu o mundo em 3 áreas e sub-áreas adicionais, que é aplicada em regras de construção de tarifas aéreas.

Regras de tarifas e regulamentações são baseadas na divisão de áreas da IATA.

Portanto, é extremamente essencial que o profissional que quer se desenvolver na indústria aérea tenha conhecimento das Áreas geográficas da IATA que vamos conhecer a seguir.

Áreas geográficas da IATA e Indicadores Globais

Áreas geográficas da IATA

Área 1

Composta pelo continente Americano, tanto ao Norte como ao Sul.

Existem duas sub-áreas de classificação: Classificação Americana e Classificação Atlântica.

Classificação Americana

América do Norte – Canadá, EUA, México e St. Pierre & Miquelon

América Central – Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras e  Nicarágua

Sub-área do Caribe – Bahamas, Bermuda, Guiana, Guiana Francesa, Suriname e  Ilhas caribenhas

América do Sul – Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Panamá,  Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

Classificação Atlântica

Atlântico Norte – Canadá, Groenlândia, México, EUA, Porto Rico e Ilhas Virgens Americanas

Atlântico Médio – composto pela região do Caribe, América Central e América do Sul, exceto para aqueles que estão listados na próxima sub-área

Atlântico Sul – Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai

Área 2

Está subdividida em três sub-áreas principais.

Europa

Todos os países europeus e as províncias Russas localizadas a Oeste dos Montes dos Urais

África

Subdividido em 6 sub-regiões

África Central – Malawi, Zâmbia e Zimbábue

África Oriental – Burundi, Djibuti, Eritreia, Etiópia, Quênia,Ruanda, Somália, Tanzânia e Uganda

África Meridional – Botsuana, Lesoto, Moçambique, Namíbia, África do Sul e Suazilândia

Líbia ou Líbia Árabe Jamahiriya

Ilhas Oceânicas da Índias – Comores, Madagascar, Maurício, Maiote, Reunião e Seychelles

África Ocidental – Angola, Benin, Burkina Faso, Camarões, Cabo Verde, Congo-Brazaville, Congo-Kinshasa, Costa do Marfim, Guiné Equatorial, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné, Bissau, Libéria, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa e Togo

Oriente Médio

Bahrein, Egito, Irã, Iraque, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano, Sultanato de Omã, Catar, Arábia Saudita, Sudão, Síria, Emirados Árabes Unidos e Iêmen

 
Leia mais sobre:

Como fazer empresas da indústria aérea correrem atrás de você?

Preparado para os próximos 20 anos? Descubra as mudanças e previsões para a indústria aérea

6 erros mais comuns dos profissionais de companhia aérea e indústria (Você não pode ignorar a #5)

Área 3

É composta pela área restante que é quase a totalidade do continente da Ásia e as Ilhas vizinhas.

Abaixo estão listadas as 4 sub-áreas:

Sudeste da Ásia – Brunei, Camboja, China, Taipei, Hong Kong, Guam, Indonésia, Cazaquistão, Laos, Macau, Malásia, Quirguizistão, Ilhas Marshall, Micronésia, Mongólia, Myanmar, Ilhas Marianas do Norte, Palau, Filipinas, Rússia, Singapura, Tajiquistão,  Tailândia, Timor Leste e Turcomenistão

Sul da Ásia ou Indiano – Sub-Continente – Afeganistão, Bangladesh, Butão, Índia, Maldivas, Nepal, Paquistão e Sri Lanka

Japão e Coréia

Sudoeste do Pacífico – Samoa Americana, Austrália, Ilhas Cook, Fiji, Kiribati, Nauru, Nova Caledônia, Nova Zelândia, Niue, Papua-Nova Guiné, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Vanuatu e Wallis e Ilhas Futuna

Agora que já sabemos as 3 áreas do globo, podemos nos aprofundar nas sub-áreas chamadas Indicadores Globais (iata-geography-glossary).

Áreas geográficas da IATA e Indicadores Globais
Click na imagem do mapa acima para visualizar com melhor qualidade.

Indicadores Globais (Global Indicators)

Código de duas letras usado na construção de tarifas para indicar a rota básica da qual a tarifa aérea se aplica.

AP

Rota entre a Área 2 e a Área 3 através do Atlântico e o Pacífico

AT

Rota entre a Área 1 e a Área 2 através do Atlântico

EH

Rota entre a Área 2 e a Área 3 via Europa Oriental 

Rota na dentro área 2 ou dentro da área 3

FE

Rota entre a Rússia (na Europa) / Ucrânia e Área 3 com serviço sem escalas entre Rússia (na Europa) / Ucrânia e área 3 além do Japão, Coréia

PA 

Rota entre a Área 3 e a Área 1 via Pacífico

Não aplicável para rotas em non-stop rotas entre o Canadá / EUA e o Sul Subcontinente asiático entre TC1 e TC2 (através do Pacífico eTC3)

PN

Rota entre Área 1 (somente América do Sul) e a Área 3 via América do norte e Oceano Pacifico

RU

Rota entre a Rússia (na Europa) e a Área 3 com serviço sem escalas entre a Rússia (em Europa) e Japão, Coreia via outro país (es) na Europa

SA

Rota entre Área 1 (somente Argentina, Brasil, Chile, Paraguai, Uruguai)  e Sudeste Asiático,

Subcontinente do Sul da Ásia, Coréia através do Atlântico apenas via ponto (s) no sudeste Ásia, Subcontinente do Sul da Ásia, Coréia, Área do Atlântico Sul, África Central, África Austral, Ilhas do Oceano Índico ou através de serviços transatlânticos diretos

TS

Rota entre a Área 2 e a Área 3 sem escalas entre a Europa e Japão, Coréia 

WH

Rota dentro da Área 1 (Hemisfério Ocidental)

Indicador Global no GDS

Os códigos dos indicadores globais aparecem nos GDSs quando uma tarifa é procurada.

No exemplo abaixo, estamos procurando o valor de uma rota entre Tóquio e Los Angeles.

Podemos identificar na última coluna à direita – GI (Global Indicator) PA

Áreas geográficas da IATA e Indicadores Globais

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que achou deste post ou sobre assuntos que poderia abordar nos próximos artigos, dica extra que queira compartilhar ou até mesmo alguma crítica.

Se você assim como eu ama a indústria e conhece pessoas que adorariam receber esse conteúdo.

Compartilhe esse artigo! Facebook, Twitter e Linkedin!