Descubra agora tudo que você precisa saber sobre o controverso acordo Céus Abertos (Open Skies)

Céus Abertos ( Open Skies ) é um assunto que não estava em minha  agenda de artigos.

Porém meu propósito aqui é com você que realmente quer se desenvolver nesta indústria.

Quer saber mais sobre Céus Abertos, continue lendo este artigo. 

O Céus abertos é um acordo bilateral e às vezes multilateral entre países que permitem o  livre mercado no transporte aéreo de passageiros, cargas, serviços e voos charter.

O primeiro acordo de Céus aberto foi assinado em 1992 entre os Estados Unidos e Holanda.

O Brasil  atualmente faz acordos pontuais com outros países visando proteger as Companhias aéreas brasileiras.

O Brasil e os Estados Unidos por exemplo, tinham um acordo limitando a 301 voos por semana entre os países.

Até que no dia 26 de Junho de 2018 o até então presidente do Brasil Michel Temer, assinou o acordo de Céus Abertos com os Estados Unidos.

Assim, com este acordo de Céus  Abertos assinado, não existe mais limite de voos entre os dois países.

Este é um assunto polêmico, muitas pessoas são a favor outras são contra.

Uns argumentam que aumentará a competição e por esse motivo diminuirá os preços das passagens.

Já outros não concordam, pois alegam que as leis trabalhistas e tributárias dos EUA são mais favoráveis.

Conseqüentemente, colocando as companhias aéreas nacionais em desvantagem.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) fez um levantamento indicando que o número de passageiros em rotas internacionais poderá aumentar 47%.

Atualmente 122 países aderiram ao acordo Céus aberto.

Céus Abertos
Céus Abertos

A maioria dos acordos Céus Abertos incluem:

Competição: Não existem restrições aos direitos de rota internacional, número de companhias aéreas designadas, capacidade, frequências, e tipos de aeronaves.

Preços determinados pelas forças do mercado: Tarifa só pode ser recusada caso ambos os governos concordem.

Competição Igual e Justa para competir: Companhias aéreas de ambos os países podem estabelecer escritórios de vendas no outro país e converter os ganhos e enviá-los prontamente e sem restrições.

Marketing cooperativo: As companhias aéreas podem fazer acordos de Code-share com companhias aéreas de qualquer país, ou com países terceiros, sujeito aos regulamentos habituais.

Segurança: Cada governo concorda em seguir altos padrões de segurança da aviação.

O que está acontecendo em outros países?

Fiz uma pesquisa sobre o acordo de Céus abertos entre Estados Unidos, União Européia e Emirados Árabes.

Queria ter uma ideia do real impacto.

E em Washington, DC, em 30 de abril de 2007 o acordo Céus abertos entre Estados Unidos e União Europeia foi assinado, entrando em vigor em 30 de março de 2008. 

O acordo permite que qualquer companhia aérea da União Européia e qualquer companhia aérea dos Estados Unidos voe entre qualquer ponto da União Européia e qualquer ponto nos Estados Unidos.

Em Londres por exemplo, antes do acordo somente 2 companhias aéreas dos Estados Unidos e 2 do Reino Unido (British Airways, Virgin Atlantic Airways, United Airlines e American Airlines) tinham direito exclusivo de operar.

Após a assinatura, com a aumento da demanda de voos a capacidade do Aeroporto de Londres foi rapidamente para 98%.

Os Estados Unidos tem um acordo de Céus abertos com os Emirados Árabes, porém, grandes companhias americanas, estão pressionando o governo para alterar o acordo e limitar os voos das Companhias Árabes.

Queria saber de você! Qual é a sua opinião sobre o acordo Céus aberto?

Deixe seu comentário logo abaixo.

Se conhece alguém que  tenha interesse neste assunto, e se importa com ela, compartilhe esse conteúdo.

Compartilhe esse artigo! Facebook, Twitter e Linkedin!

Até em breve.