Tudo que você precisa saber sobre câmbios e moedas utilizadas na emissão de bilhetes

Quero compartilhar aqui neste artigo mais informações sobre câmbios e moedas utilizadas na emissão de bilhetes com você.

Ao final da leitura deste artigo, você irá desenvolver um olhar mais aguçado sobre como os valores das tarifas são convertidos e definidos em um bilhete internacional.

Então, se você quer saber sobre câmbios e moedas utilizadas nesta indústria e deseja aprender mais sobre esse assunto, continue lendo esse artigo.

Câmbios e Moedas

A fim de estabelecer tarifas de bilhetes que podem ser vendidos em todo o mundo, as companhias aéreas utilizam taxas de câmbio específicas entre as moedas mundiais.

Desta forma, as regras foram desenvolvidas e mantidas para que as taxas de câmbio sejam monitoradas em relação às moedas base, como USD, GBP e EURO.


As taxas de câmbio e conversão publicadas pela  IATA são a fonte que apoia as companhias aéreas a estabelecer o valor das tarifas.

Câmbio IATA

O Câmbio Iata é a cotação utilizada  para as emissões de bilhetes aéreos de voos internacionais por agências de viagens e companhias aéreas.

Esse câmbio é um valor referencial aproximado ao do dólar comercial.

A Cotação do Câmbio Iata é fornecida diariamente pelo IATA e carregado nos GDSs.

NUC – Neutral Unit of Construction

O NUC (Unidade neutra de construção) é uma moeda fictícia usada por todas as companhias aéreas, para fins de construção de tarifas de bilhete internacionais.

Quando uma viagem internacional é calculada por um GDS, os valores mostrados na Linha de Construção de Tarifas serão em NUCs.

O montante NUC é então convertido para a moeda do país de origem usando a taxa de câmbio da IATA. (IROE)

O sistema NUC surgiu em 1 de julho de 1989.

A partir de 2008 , o NUC está atrelado aproximadamente ao dólar dos EUA (US $ 1 ≈ 1 NUC).

O NUC é usado para que as tarifas publicadas em diferentes moedas possam ser convertidas em uma moeda comum para fins de construção de tarifa e, em seguida, conver

tidas novamente na moeda em que o bilhete é vendido.

Ficou difícil?!

Vamos imaginar uma tarifa saindo de Tóquio para São Paulo. (Sendo comprada em reais aqui no Brasil).

A tarifa essa publicada em sua moeda local em JPY (ienes).

Esta tarifa em JPY é chamada de:

LCF (Local Currency Fare) – Tarifa em moeda local: Tarifas em moeda do país de início da viagem.

Como a construção da tarifa é em NUC o GDS divide o valor da tarifa em JPY pelo IROE para o  obter o NUC.

Agora valor em NUC pode ser multiplicado pelo câmbio IATA local para obter o valor da tarifa em BRL (Reais).

Leia mais sobre:

Como fazer empresas da indústria aérea correrem atrás de você?

Preparado para os próximos 20 anos? Descubra as mudanças e previsões para a indústria aérea

6 erros mais comuns dos profissionais de companhia aérea e indústria (Você não pode ignorar a #5)

IROE – Iata Rates of Exchange

Mas afinal o que é esse tal de IROE?

IROE – Taxa de Câmbio IATA é publicada mensalmente para converter as tarifas em moeda local para NUC .

Ou seja, o IROE  é construído com base na média de cinco dias úteis que terminam no dia 10 de cada mês.

O ajuste do IROE é feito de acordo com o USD (Dólar).

Me aprofundei sobre códigos utilizados nesta indústria neste artigo aqui.

Caso tenha alguma dúvida sobre os códigos de moedas este site pode te ajudar Country Currency Codes.

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que achou deste post ou sobre assuntos que poderia abordar nos próximos artigos, dica extra que queira compartilhar ou até mesmo alguma crítica.

Se você assim como eu ama a Indústria Aérea e conhece pessoas que adorariam receber esse conteúdo!  Compartilhe esse artigo! Facebook, Twitter e Linkedin!