O que é EMD? O documento eletrônico utilizado pelas companhias aéreas

EMD é  o documento padrão da indústria aérea para o cumprimento dos serviços opcionais.

Nunca ouviu falar do termo ou não sabe bem para que serve um EMD?

Sem problemas!

Garanto que até o final deste artigo você conhecerá os conceitos básicos sobre o assunto.

Continue lendo este artigo, onde vou explicar para você o que é  um EMD e onde pode ser usado.

O que é um EMD?

O EMD (Electronic Miscellaneous Document) é um documento padrão oficial da IATA para facilitar a cobrança de serviços opcionais e auxiliares das companhias aéreas.

O EMD é usado pelas companhias aéreas para vendas diretas ou através de agências de viagens conectadas a um Sistema de Distribuição Global (GDS).

O EMD funciona como um bilhete eletrônico porém para serviços opcionais e auxiliares.

Também serve como um recibo emitido para o passageiro, e os dados são armazenados no sistema da companhia aérea.

Existem dois tipos de EMD:

EMD-S (autônomo): não associado a um bilhete eletrônico,  podendo ser usado  independentemente como  excesso de bagagem, cobrança de taxas de embarques, assentos extras, etc. 

EMD-A (Associado a um bilhete eletrônico) utilizado em alterações de data, taxas, penalidades, reembolso, etc.


As agências de viagens cadastradas BSPlink podem emitir os EMDs para as seguintes taxas e serviços:

Taxa de alteração – Multa por alteração de datas de um bilhete.

Taxa de cancelamento ou no-show – Multa quando o passageiro não comparece no check-in do aeroporto na data reservada. 

Depósito de Grupo – Taxa de garantia cobrada para garantir o bloqueio de assentos de um grupo. 

Diferença de tarifa reembolsável de valor residual – Reembolso de diferença de tarifa de um bilhete reemitido para uma tarifa mais baixa que a original paga.

Leia mais sobre:

Como fazer empresas da indústria aérea correrem atrás de você?

Preparado para os próximos 20 anos? Descubra as mudanças e previsões para a indústria aérea

6 erros mais comuns dos profissionais de companhia aérea e indústria (Você não pode ignorar a #5)


História rápida de como surgiu o EMD

Tudo começou com o documento de papel similar aos antigos bilhetes físicos, o MCO( Miscellaneous charges order ) ou em português Ordem de Cobranças Diversas.

Os MCOs tinham as mesmas funções do EMD, porém eram físicos, de papel e eram preenchidos manualmente.

O descontinuado V-MPD ( Virtual Multiple Purpose Document ) foi uma solução criada pela IATA para substituir os MCOs.

Os V-MPDs eram emitidos dentro da ferramenta BSPlink e novamente seguiam todas as mesmas funções do antigo MCO e futuro EMD.

Os v-MPDs foram substituídos 100% para os EMDs no final de 2013.

Isso significa que a partir de 2014, os MCOs e os v-MPDs não eram mais processados ​​pelo IATA BSP.

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que achou deste post ou sobre assuntos que poderia abordar nos próximos artigos, dica extra que queira compartilhar ou até mesmo alguma crítica.

Se você assim como eu ama a Indústria Aérea e conhece pessoas que adorariam receber esse conteúdo!  Compartilhe esse artigo! Facebook, Twitter e Linkedin!